publicidade
cria
IMPRESSO MAIS

O Minist√©rio da Sa√ļde incinerou R$ 227 milhões em vacinas da Covid em 2024

Foram descartadas mais de 6 milhões de doses da Janssen que perderam validade. Os lotes descartados são avaliados em R$ 227 milhões.

Por Redação Folha de S. Paulo em 28/05/2024 às 22:02:29

O Ministério da Sa√ļde incinerou em 2024 cerca de 6,4 milhões de doses de vacinas da Covid-19 que perderam a validade. Os lotes descartados são avaliados em R$ 227 milhões.

Os imunizantes foram fabricados pela Janssen e usam a tecnologia de vetor viral.

Essas doses descartadas estavam no estoque desde dezembro de 2021. Venceram entre setembro e outubro de 2023 -esses imunizantes t√™m 2 anos de validade porque a Sa√ļde passou a priorizar os imunizantes de RNA mensageiro, como da Pfizer e Moderna. Esse tipo de vacina perdeu força no SUS (Sistema √önico de Sa√ļde) desde o fim de 2022.

No total, a Sa√ļde recebeu 41 milhões de doses da vacina da Janssen, sendo que 38 milhões foram compradas com o laboratório, e 3 milhões, doadas pelos Estados Unidos.

Mesmo com quase um ano de ter assumido a equipe de Nísia atribui a responsabilidade destas perdas ao governo Jair Bolsonaro (PL).

Informações apresentadas em maio, após pedido da Folha, mostram que a Sa√ļde descartou produtos avaliados em cerca de R$ 314 milhões em 2024. O valor inclui as vacinas da Janssen. Por regras da legislação sanit√°ria, produtos vencidos ou que são reprovados em inspeção precisam ser incinerados.

Depois deste imunizante, os lotes incinerados de maior valor são de imunoglobulina anti-hepatite B e da vacina meningocócica, contra a meningite, avaliados em cerca de R$ 16 milhões cada.

No estoque central do ministério, localizado em Guarulhos, ainda estão armazenados cerca de R$ 200 milhões em produtos j√° vencidos e que devem ser incinerados. Os lotes mais caros (cerca de R$ 120 milhões) são roupas de proteção doadas ao Brasil durante a pandemia e que se tornaram um problema para a gestão atual, pois o descarte é caro e causa dano ambiental.

Mesmo deixando o estoque vender, o Ministério da Sa√ļde planeja comprar 70 milhões de doses da vacina da Covid-19 em 2024. A pasta, porém, atrasou a compra emergencial de uma parcela de 12 milhões destes imunizantes.

O plano era receber em março as primeiras vacinas atualizadas para a Covid, mas as doses da fabricante Moderna começaram a ser entregues em maio.

O atraso tornou o governo Lula (PT) alvo de cr√≠ticas que extrapolam o campo da pol√≠tica e vindas de grupos como o centrão, que cobiça o controle da pasta. Integrantes da comunidade cient√≠fica, profissionais de sa√ļde, entre outros grupos, lançaram um abaixo-assinado cobrando do Ministério da Sa√ļde a entrega das vacinas preparadas para novas variantes e mais medidas para fortalecer o combate à doença.

O ministério ainda não abriu a disputa pelo restante das doses que pretende comprar neste ano. Em nota, a pasta disse que o processo licitatório est√° em andamento e que não faltar√° doses para a população.



Fonte: Folha de S. Paulo

Comunicar erro
IMPRESSO MAIS 2

Coment√°rios