publicidade
cria
IMPRESSO MAIS

Campanha de vacinação contra poliomielite começa nesta segunda

A partir desta segunda-feira (27), todas as crianças menores de 5 anos devem comparecer aos postos de saĂșde para ser imunizadas contra a poliomielite, tambĂ©m conhecida como paralisia infantil.

Por Redação Agência Brasil em 27/05/2024 às 19:22:13

A partir desta segunda-feira (27), todas as crianças menores de 5 anos devem comparecer aos postos de saĂșde para ser imunizadas contra a poliomielite, também conhecida como paralisia infantil. A meta do Ministério da SaĂșde é vacinar 95% de um total de 13 milhões de crianças na faixa etĂĄria definida.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite vai até 14 de junho. A expectativa é reduzir o nĂșmero de crianças não imunizadas e o risco de reintrodução do poliovĂ­rus no Brasil. Em nota, a pasta destacou que a vacinação é a Ășnica forma de prevenção contra a doença.

O ministério reforça que a campanha deste ano, em particular, é importante para o enfrentamento à pólio, jĂĄ que o Brasil estĂĄ em fase de transição para substituir as duas doses da vacina oral poliomielite (VOP) para apenas um reforço com a vacina inativada poliomielite (VIP), no formato injetĂĄvel.

Com a mudança, o esquema vacinal e a dose de reforço contra a doença, a partir do segundo semestre deste ano, serão feitos exclusivamente com a VIP. "Todos os estados e municĂ­pios receberão as normas e diretrizes dessa alteração", destacou a pasta.

Casos

O Brasil não registra casos de pólio desde 1989. Em 1994, o paĂ­s recebeu a certificação de ĂĄrea livre de circulação do poliovĂ­rus selvagem. No ano passado, entretanto, o Brasil foi classificado pela Comissão Regional para a Certificação da Erradicação da Poliomielite na Região das Américas como território de alto risco para reintrodução do poliovĂ­rus.

"Essa categorização se deu a partir do desempenho das coberturas vacinais, dos indicadores de vigilância epidemiológica das paralisias flĂĄcidas agudas (PFA) e do status de contenção laboratorial dos poliovĂ­rus, por exemplo", detalhou o ministério.

O ministério recomenda que estados e municĂ­pios realizem, no dia 8 de junho, um sĂĄbado, o chamado Dia D da campanha contra a pólio, no intuito de ampliar a divulgação e a mobilização em todo o paĂ­s. "Estados e municĂ­pios tĂȘm autonomia para definir a realização em outras datas, de acordo com as especificidades locais."

Dados da pasta mostram que, em 2022, 77% das crianças com menos de 1 ano receberam a dose da VIP. Em 2023, o nĂșmero aumentou para 84,63%, conforme dados preliminares. Neste ano, o Ă­ndice de doses da VIP aplicadas, neste momento, estĂĄ em 85,42%.

No ano passado, os trĂȘs estados com os melhores Ă­ndices de vacinação foram CearĂĄ, com 93%; PiauĂ­, com 92%; e Santa Catarina, com 90%.

A doença

De acordo com a Organização Mundial da SaĂșde (OMS), a poliomielite afeta principalmente crianças com menos de 5 anos de idade, sendo que uma em cada 200 infecções leva à paralisia irreversĂ­vel, geralmente das pernas. Entre os acometidos, 5% a 10% morrem por paralisia dos mĂșsculos respiratórios.

Os casos da doença diminuĂ­ram mais de 99% ao longo dos Ășltimos anos, passando de 350 mil casos estimados em 1988 para seis casos reportados em 2021.

"Enquanto houver uma criança infectada, crianças de todos os paĂ­ses correm o risco de contrair a poliomielite. Se a doença não for erradicada, podem ocorrer até 200 mil novos casos no mundo, a cada ano, dentro do perĂ­odo de uma década", estima a OMS.

EmergĂȘncia global

Após a alteração do status da covid-19 e da mpox ou varĂ­ola dos macacos, a poliomielite figura atualmente como a Ășnica emergĂȘncia em saĂșde pĂșblica de importância internacional mantida pela OMS.

O mesmo comitĂȘ que declarou o fim da emergĂȘncia para a covid-19 e para a mpox decidiu, em maio do ano passado, por unanimidade, manter o mais alto status de emergĂȘncia sanitĂĄria concedido pela entidade para a pólio.

"O comitĂȘ unanimemente concordou que o risco de disseminação internacional do poliovĂ­rus permanece como emergĂȘncia em saĂșde pĂșblica de importância internacional e orientou para a extensão das recomendações temporĂĄrias por mais trĂȘs meses", destacou relatório da OMS.



Fonte: AgĂȘncia Brasil

Comunicar erro
IMPRESSO MAIS 2

ComentĂĄrios